martes, 21 de julio de 2009

Poemas / em português بالبرتغالية

Poemas

Muhsin Al- Ramli

Tradução: Fátima Pacheco

***************

UM ÚNICO AMOR

Oh mulher cansada de buscar um único amor
E segue solitária.
Pega meu coração, uma almofada.
Para teu coração que cansou.
Pega meu coração, um caderno
Para teu coração que não entendeu.
Pega meu coração, um guardião
Para teu coração frustrado.
Oh mulher cansada de buscar um único amor
E segue solitária
Vem e me toma
Contigo
Porque sem teu amor
Eu é que estou solitário..

***************

SABEDORIA

Quem não faz a sua amada rir
nao a merece
Quem não faz sua amada chorar
não a merece
Por isso, esqueço de minhas preocupações contigo
para que rias
Por isso revelo minha história como preço para as tuas lágrimas
e expresso todos os sonhos da minha alma
Entre tuas mão, que me ame.

***************

MEDELLIN
As cidades são como as mulheres
As mulheres são como cidades
Diversas variáveis
São contraditórios:
loucas, lúcidas
doces, amargas
Prazer, dor
Água e fogo são

As cidades são cimento, ferro e asfalto
Medellín é a poesia, verde feridas e sonhos
Montanha Café Pernas
Vales, flor de feminilidade
Rio, saliva mel
Raizes, cheiros e cores palavras
Frutas de musica e sangue
Frutos da terra e do céu
Fruto de seu fruto

! Oh Deus!
contagie o resto das cidades com o seu espírito
Faça-me viver em uma cidade como uma menina "país"
Faça-me apaixonar por uma garota como Medellín
Deixe a paz reinar na Colômbia, Iraque e no mundo
Então,
Só então
Gritarei como Neiruda:
"Eu confesso que tenho vivido"

***************

FILHO DO MINHA ÉPOCA

Eu sou filho da minha época e neste dia
Tenho comida e bebida
E só alimento os bancos
Sou filho do meu tempo e o companheiro das telas
São meus mapas e os aeroportos
E não vejo o rosto do meu vizinho
Sou filho da minha época e um fiel consumidor de publicidade
Expert em reuniões e sapatos
E não conheço minha alma
Sou filho da minha época e minha família e um albergue que abandonei
Sou habilidoso em falar e em alugar
E não me interessa a tristeza da minha irmã
Porque sou filha da minha época
E minha época é uma filha da puta.

-------------------------------------------------------
*Muhsin Al-Ramli, Nascido no Iraque em 1967. Ele mora na Espanha desde 1995. Tem Doutorado em filosofia, filologia espanhol pela Universidade Autônoma de Madrid 2003, o tema de sua tese: Os traços da cultura islâmica em Don Quixote. É Tradutor espanhol de vários clássicos para o árabe. Das suas obras publicadas: Presente do próximo século (notícias) 1995. Em busca de um Coração Vivo (Teatro) 1997. Deixa distante do Tigre (notícias) 1998. Espalhando migalhas (Romance) 1999 Prêmio Arkansas (EUA) 2002 até a versão em Inglês: (Espalhando Migalhas). As felizes noites do bombardeio (de Narração) 2003. Somos todos viúvos das Respostas (Poesia) 2005. Dedos de dátiles -Título Original (Novela) 2008. Co-editor da revista cultural ALWAH. Atualmente é professor da Universidade Saint Louis, Madri.
Apesar das atribulações vividas pelo povo Iraquiano, Muhsin Al-Ramli encontrou na poesia a sua forma de protesto. Com versos que demonstram a sensibilidade da alma humana, ele transita pelo mundo ocidental levando a cultura árabe, através dos idiomas Espanhol e Inglês. Irei traduzindo futuramente, alguns de seus poemas para o português. A beleza esta em todo lugar, principalmente nas palavras de Muhsin Al-Ramli.

Fátima Pacheco